Guia de Encontros

Como conhecer uma mulher online

Sempre fui tímido e tive muita falta de jeito para meter conversa com mulheres. Por isso comecei a experimentar os sites de encontros e rapidamente consegui a ter muitos mais encontros do que alguma imaginei que conseguiria.

Entre as várias mulheres que conheci foi a MJH, que já tinha escrito um artigo para este blog (MJH avalia o site Diabruras) e nos vários encontros que tivemos, fomos falando sobre as nossas experiências nos sites de encontros e ela desafiou-me a escrever este artigo que aqui segue.

Sobre mim

Para perceber um pouco mais o quanto me tem corrido bem a experiência de conhecer mulheres online, vou falar um pouco sobre mim.

Nunca tive jeito para conhecer mulheres. Mesmo quando era miúdo não tive muitas namoradas, devido à minha timidez. Embora não seja nenhum Brad Pitt ou Tom Hardy (ou lá que homem as mulheres anseiem), acho que nunca fui rejeitado pelas mulheres por ser feio, mas sim pela minha falta de jeito em as abordar. Divorciei-me aos 34 anos (tenho agora 48) e como - mesmo em adulto - continuava a não ter jeito para "engatar" mulheres. Ainda por cima, queria conhecer mulheres diferentes, fora do meio de trabalho, dos amigos e família.

Foi por isso que comecei a experimentar os sites de encontros e pude confirmar que realmente facilitam  a aproximação de pessoas que, de outra forma, nunca se teriam conhecido e até mesmo aos mais tímidos e reservados conseguem a oportunidade de conhecer mulheres interessantes e mesmo espetaculares. Constatei que através da internet o constrangimento tende a não funcionar como um obstáculo e que abordar alguém que (ainda) não conhecemos é um passo muito menos intimidante.

Porque estou a escrever este texto?

Mas das conversas que tenho tido e do que tenho lido por aqui e por ali, parece-me que apesar das oportunidades se apresentarem em abundância, ainda muitos homens que se queixam que não conseguem conhecer mulheres nos sites de encontros. O sucesso pode vir de conjunto muito vasto de factores, mas a qualidade da abordagem é, sem dúvida, um dos de maior relevo. Infelizmente, do que ouvi das mulheres que conheci o esforço que muitos homens depositam na composição de uma boa primeira mensagem é mínimo, o que contribui activamente para os maus resultados experienciados.

Assim, incentivado pela MJH, tento explicar aqui como abordo as mulheres online e tento resumir as razões porque parece que tenho sucesso, tal como me parece que seja mas também confirmado pelas conversas que tive com algumas das mulheres que conheci nos vários sites e considero minhas amigas.

Aqui vai.

Faço uma selecção estratégica

Ser realista e fazer uma selecção estratégica poderá evitar perdas de tempo e situações constrangedoras. De nada adianta perder tempo a contactar mulheres que objetivamente não me interessam, nem aquelas que  só porque que não me parece que possam vir a ter qualquer tipo de interesse em mim - ainda que a tentação seja muito forte, um quase cinquentão como eu não interessará a uma rapariga de vinte e poucos ou mesmo trinta e poucos anos!

Concentro-se em pessoas que apresentem semelhanças comigo, quer a nível de idade, quer a nível de visual ou estilo de vida. Os resultados serão muito mais satisfatórios. Mas não deixo de sonhar e ambicionar algo que possa estar um pouco mais acima da minha "liga" - afinal foi assim que conheci a MJH. A vida é muito imprevisível e quase tudo pode acontecer, mas tento gerir bem as expectativas de modo a evitar fortes desilusões.

Aprendo o máximo sobre ela antes de a abordar

Não me limito a enviar mensagens só porque gostei das fotos que vi. Pelo que me dizem várias mulheres que conheci, elas recebem muitos (imensos, mesmo) contactos básicos e superficiais. Por isso invesito sempre alguns minutos a ler o perfil da pessoa e tento decifrar algumas características da pessoa em questão. Assim, quando meter conversa, consigo vencer a tal "concorrência" que insiste em contactos básicos e superficiais: mostro-lhe que realmente prestei atenção ao seu perfil e que me dei ao trabalho de fazer algo que a maioria não faz. Não só é uma demonstração de respeito, como facilita sempre quando quero arranjar tema de conversa, bem como a qualidade e relevância do mesmo.

Evito os elogios

É fantástico como as mulheres se queixam do excesso de elogios que recebem - algumas queixam-se mesmo de receberem mensagens a dizer "és linda" logo no primeiro contacto, quando ainda nem publicaram uma fotografia que fosse!

Isto não quer dizer que um elogio como primeira mensagem não possa funcionar, mas parece-me que passaria a ideia que estou desesperado, ou que sou submisso ou "graxista".

Tento não ser banal

Um simples "Olá, tudo bem?" pode parecer uma forma perfeitamente legítima e inocente de meter conversa. E na verdade até é. Mas tem um problema: qualquer mulher num site de encontros recebe dezenas de mensagens por dia, muitas delas absolutamente idênticas entre si - sendo o "Olá, tudo bem?" uma das mais frequentes - o que pode tornar-se extremamente entediante para ela. Tal como referi acima, tento destacar-me fazendo uma observação válida a respeito de algo que tenha reparado no perfil, ou usando formas de cumprimento menos convencional. E tem dado resultado.

Controlo as hormonas

Nunca sou atrevido logo na primeira conversa. As mulheres não são nacos de carne. Demasiados homens as vêem assim e estão constantemente a ser assediadas online e a receber comentários menos apropriados. Para elas não existe absolutamente nada de sedutor nisso e será apenas um bom motivo para bloquearem os homens que as contactam nesses termos.

E nunca - nunca - mas nunca mesmo! - publico ou envio fotografias nú, ou dos meus genitais, nem outras de conotação sexual.

Tento usar uma escrita cuidada

Não escrevo prosa literária, mas tento que as  mensagens não tenham erros ortográficos e evito a utilização de calão e abreviações. Considero-me uma pessoa bem formada e gosto de conhecer mulhes bem formadas, Da mesma forma que detesto receber mensagens com erros ortográficos (o que não é o mesmo que gralhas), presumo também que não há nada mais desmotivante para o tipo de  mulher quero conhecer.

Uso os sites certos

Uso sites de encontros, porque os sites de encontros são para isso mesmo e sei que as mulheres que lá estão procuram encontros. Não faz sentido ir meter-me ao engate em redes sociais e outros sites que não são para isso.

Eu prezo a minha privacidade e - sobretudo - a privacidade das mulheres com que falo, por isso:

  • não me meto ao engate no Facebook ou no LinkedIn que são sites peritos em contar a toda a gente e mais alguma as pessoas que conheci

Eu quero conhecer mulheres interessantes, dar umas cambalhotas e que podem resultar ou não numa amizade e se essa amizade se estender para algo mais, melhor. Mas não estou interessado em procurar "almas gémeas" ou "caras metades". Por isso:

  • não uso sites de namoro ou "matchmaking"
  • uso sites de encontros causais, como o Victoria Milan (muitas mulheres casadas) ou o Diabruras

Não quero conhecer prostitutas e muito menos cair em esquemas fraudulentos, pelo que nunca uso sites grátis - estão absurdamente pejados de prostitutas a vender os seus serviços e, muitas vezes, de perfis falsos que funcionam como isco para fraudes e assaltos.

Palavras finais

Espero que estas dicas que vos passei sejam úteis, A concorrência nos sites de encontros é feroz, mas qualquer homem com um pouco de paciência, inteligência e imaginação consegue ter sorte. Do que me contam as mulheres que conheci, 95% dos homens que usam os sites de encontros fazem-no de forma a destruir as suas hipóteses de conseguir alguma coisa.

Educação e sentido de humor nas minhas mensagens são, recorrentemente, as razões que elas me dizem que se interessaram em manter contacto comigo e, mais tarde, marcar encontros, jantar fora, tomar um copo e também - sim, também - ter sexo.

Agora é a tua vez!


SF foi convidado pelo "Guia de Encontros" para partilhar as suas experiências enquanto utilizador de sites de encontros. As opiniões aqui descritas referem apenas e só as suas.