Guia de Encontros

Nos sites de encontros aproveita-se quem vem à rede

Investigadores universitários concluíram que muitas exigências desaparecem no momento de decidir contactar alguém online.

Embora as pessoas indiquem preferências específicas ao inscreverem-se, na hora h acabam por clicar em perfis completamente diferentes.

O estudo baseou-se em dados de 42 936 membros do RSVP, entre os 18 e os 80 anos, metade delas entre os 39 e os 56 anos. Quase 100% identificando-se como heterossexuais (99,6%) e sendo 77,8% deles homens.

As pessoas tinham indicado as suas preferências relativamente à idade, altura, cor dos olhos, cor do cabelo, tipo de corpo, sexualidade, estado civil, etnia, religião, ideologia política e número de filhos.

Mas, quando os investigadores analisaram as quase 220 mil decisões de contacto, realizadas entre 1 de janeiro e 26 de abril de 2016, descobriram que mais de uma em cada três não coincidiam com as preferências indicadas. E mais de 65% coincidiam com apenas uma.

Em geral, os homens, relativamente às mulheres, são menos seletivos. Mas a partir dos 60 anos, tornam-se mais exigentes do que elas. Eles e elas, os que têm um nível de educação mais elevado e mais de 40 anos mostram-se mais seletivos.

Homens e mulheres, todos parecem ligar pouco ou nada ao “tipo de corpo”. A questão dos filhos – número de filhos e/ou intenção de vir a ter – também não tem grande influência na decisão de um primeiro contacto. Já a personalidade conta sobretudo para aqueles (eles e elas) que se dizem “sociais”.

Os investigadores tiveram como premissa o facto de que a Internet veio alterar a maneira como hoje se procura um potencial parceiro. Ao fim de quase duas décadas, aceita-se melhor que alguém tente a sorte online, seja para um encontro casual ou uma relação duradoura.

No Reino Unido, a internet é já o terceiro método mais utilizado para encontrar parceiro. E, nos Estados Unidos, 1 em cada 10 adultos, e 38% daqueles que se identificam como “solteiros e à procura” de uma relação amorosa, usaram alguma plataforma de encontros online.

Fonte: Revista Visão